Teatro: Instituto Itaú Cultural lança edital de fomento

Eduardo Saron: “Estaremos com os artistas”. Foto Camila Svenson

O instituto Itaú Cultural lançou edital público de fomento ao teatro, aberto a inscrições de grupos de todo o país. Serão selecionadas duas propostas para montagem de espetáculos. O valor da subvenção é de R$200.000,00 por projeto.

O alcance por enquanto é modesto. Para se ter ideia, na cidade de São Paulo o Programa municipal de fomento ao teatro patrocina cerca de trinta projetos por ano, com valores aproximados de até um milhão cada um.  Por outro lado, São Paulo neste momento é uma ilha no panorama nacional. Desde a eleição de Jair Bolsonaro os mecanismos de produção cultural vivem amplo desmonte Brasil afora.  A realidade das políticas culturais  regionais – que nunca foram muito vigorosas – é de total abandono quanto ao investimento de recursos assim como em relação à vigilância de conteúdos, com casos de censura denunciados de Norte a Sul.

Por isso o lançamento do edital é especialmente importante. Parte de uma instituição privada com grande visibilidade e em certa medida posiciona-se na contramão da política geral que vem demonizando a arte e hoje determina as ações da gestão pública não só no Governo federal como também em muitos Estados. O diretor do IC, Eduardo Saron, citou o crítico Mario Pedrosa para afirmar o lugar da instituição, que seguirá, segundo diz, “ao lado dos artistas”. Quanto à ampliação de recursos no futuro próximo, “o próprio andamento vai nos indicar como o projeto se desdobrará”. O edital não faz uso de renúncia fiscal (Lei Rouanet, por ex.). É gerido com recursos diretos do banco – o que também é boa notícia.

Técnica e Poética

Podem se inscrever grupos de teatro de qualquer região, que comprovem trabalho por no mínimo sete anos. Não há determinações quanto a linguagem ou temas, as abordagens são livres. Os projetos serão selecionados pelos técnicos do instituto e os critérios são: singularidade estética da proposta, o percurso do grupo e a viabilidade da execução. Galiana Brasil, gerente de artes cênicas, explica: “Serão consideradas questões de ordem técnica, como a ocupação dos espaços, até a poética do trabalho. É preciso lembrar que curadoria é sempre uma escolha”.

Um mesmo grupo pode se inscrever  com mais de um projeto. Não há impedimento à participação de proponentes que tenham inscrito o mesmo projeto em outros programas do IC, como o  Rumos, nem ao uso de outros aportes e apoios.  Os espetáculos, quando montados, virão à cena em São Paulo na sede do Itaú Cultural. As despesas  de viagem e permanência na cidade bem como os cachês não estão incluídas no prêmio,  serão custeadas à parte pelo instituto.

O edital e o formulário de inscrição estarão disponíveis no site do IC (itaucultural.com.br) a partir do dia 10 de Março.

About Kil Abreu

É jornalista, crítico, curador e pesquisador do teatro. Pós-graduado em Artes pela USP. Foi diretor do Departamento de teatros da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo. Escreveu para o jornal Folha de São Paulo e coordenou por quase dez anos a Escola Livre de teatro de Santo André. Compôs os júris dos principais prêmios do teatro brasileiro, como Shell e APCA. Fez a curadoria de festivais como os de Curitiba, Festival Recife do teatro nacional, Festival internacional de teatro de São José do Rio Preto e das atividades reflexivas da Mostra internacional de teatro de São Paulo (MITsp). É curador no Centro Cultural São Paulo e membro da IACT/AICT – Associação internacional de críticos de teatro.

View all posts by Kil Abreu →